Vivendo e aprendendo

Que é preciso ninguém tem dúvida, mas saber mesmo, são outros quinhentos…

  

É Preciso Saber Viver

Composição: Erasmo Carlos / Roberto Carlos

Quem espera que a vida seja feita de ilusão
Pode até ficar maluco ou morrer na solidão
É preciso ter cuidado, pra mais tarde não sofrer
É preciso saber viver

Toda pedra do caminho, você pode retirar
Numa flor que tem espinhos, você pode se arranhar
Se o bem e o mal existem, você pode escolher
É preciso saber viver

 

Acho que todo mundo teve o seu momento de ilusão, se agarrou a ela e não quis largar de jeito nenhum….então sofreu e aprendeu essa. Também deve ter tropeçado à beças nas pedras que apareceram, sem saber como poderia tirá-las…quando descobriu, aprendeu mais uma.

Mas disso, a conclusão que chego é que impossível saber viver! A gente vai trombando, caindo, esbarrando e vai aprendendo…(tempo verbal: presente contínuo). É um processo.

Tenho uma amiga (grande e querida Iara) que costuma dizer que devemos ser espertos e aprender com os erros dos outros, não com os nossos próprios. Até porque, talvez não tenhamos a chance de viver algo de novo, para então não errar mais. Complexo, eu sei. Difícil na prática, também sei. Mas concordo com ela.

Fiz três anos de terapia e quantas vezes ouvi: “Você tem que entender isso”, “Você tem que saber lidar com aquilo”, enfim. Me lembro de repetir ironicamente por quase um ano pra minha terapeuta: “Ah tá. E cadê a fórmula?”

“Não tem fórmula, Paula”, ela me respondia com um leve sorriso no rosto.

Ela tem toda razão. Não há UMA fórmula…. com o tempo, vamos criando as nossas próprias fórmulas.

Fui despedida? Tomei a decisão errada? Levei um pé na bunda?

Hora de manipular aqueles ingredientes do experimento anterior (ou alheio), juntar tudo e…. BUM! Fórmula pronta. É só beber! Rsrs

Ok, ok… não é simples assim, mas é um começo, um norte…

By the way, se alguém tiver a formula, ainda estou interessada!!!rsrsrs

Até a próxima!

Anúncios

Por trás das flores

Flores

 

Composição : Tony Bellotto / Sérgio Britto / Charles Gavin / Paulo Miklos (Titãs)

Olhei até ficar cansado de ver os meus olhos no espelho
Chorei por ter despedaçado as flores que estão no canteiro
Os punhos e os pulsos cortados e o resto do meu corpo inteiro
Há flores cobrindo o telhado e embaixo do meu travesseiro
Há flores por todos os lados, há flores em tudo que eu vejo

A dor vai curar essas lástimas, o soro tem gosto de lágrimas
As flores têm cheiro de morte, a dor vai fechar esses cortes
Flores, Flores
As flores de plástico não morrem

 

 

O louco dessa música é que, como eu,  você deve ter cantado várias vezes, empolgado, afinal tem um rítmo animado, muda o tom, o refrão é ótimo! Floooooores, floooooooores…. (Lembra meu tempo de escola, quando eu cantei em coro com uns amigos num daqueles momentos de furduncio, após saber que a professora faltou e que não tinha substituta…)…até o dia em que prestou atenção na letra e falou:

Caracas! O cara se matou!!!  Ele chorou pra caramba, não aguentou a dor, cortou os pulsos! As flores no telhado e embaixo do travesseiro, é no caixão!! Puuuuuuuuuuuuts!

Peguei carona com um amigo outro dia (o Paulinho) e ele colocou essa música, e devaneamos na letra! Rsrs Aquela vozinha mansa da Marisa Monte pra ajudar a gente a não prestar atenção em nada, só cantarolar!! Danadinha…Hahaha

Essa é uma característica do Titãs. Suas letras são bem ‘cantantes’, baladinhas mesmo, mas sempre reflexivas. Já falei aqui sobre a música “Não vou me adaptar”… que é outra ótima referência.

Costumo dizer que em algumas letras, tenho a nítida impressão de que a pessoa vivenciou tudo aquilo e resolveu colocar no papel, dar uma melodia… mas dessa vez, não acho que seja o caso…rsrs

Até mais!