Repartir o amor

Não posso esconder que gosto tanto das músicas do Nando Reis, que se não fosse ficar ‘over’, eu só colocaria suas canções aqui no blog…. que provavelmente se chamaria “Nando na Caixola” hahaha.

A escolha de hoje junta duas preferências minhas: O Nando Reis e a melodia cantada em dueto! Adooooro!

Vamos lá: (P.S.: vale entrar no Youtube e ver o vídeo oficial, que eu não posso incluir aqui. Veja esse link: http://youtu.be/rkAvi_FRKyI )

Pra Você Guardei o Amor

Composição: Nando Reis

Pra você guardei o amor que nunca soube dar
O amor que tive e vi sem me deixar sentir sem conseguir provar
Sem entregar e repartir

Pra você guardei o amor que sempre quis mostrar
O amor que vive em mim vem visitar
Sorrir, vem colorir solar

Vem esquentar e permitir

Quem acolher o que ele tem e traz, quem entender o que ele diz
No giz do gesto o jeito pronto do piscar dos cílios
Que o convite do silêncio exibe em cada olhar

Guardei sem ter porque, nem por razão ou coisa outra qualquer
Além de não saber como fazer
Pra ter um jeito meu de me mostrar

Achei vendo em você e explicação nenhuma isso requer
Se o coração bater forte e arder, no fogo o gelo vai queimar

Pra você guardei o amor que aprendi vendo meus pais
O amor que tive e recebi e hoje posso dar livre e feliz
Céu cheiro e ar na cor que arco-íris risca ao levitar

Vou nascer de novo
Lápis, edifício, tevere, ponte
Desenhar no seu quadril
Meus lábios beijam signos feito sinos
Trilho a infância, terço o berço do seu lar

Guardei sem ter porque, nem por razão ou coisa outra qualquer
Além de não saber como fazer
Pra ter um jeito meu de me mostrar

Achei vendo em você e explicação nenhuma isso requer
Se o coração bater forte e arder, no fogo o gelo vai queimar

Pra você guardei o amor que nunca soube dar
O amor que tive e vi sem me deixar sentir sem conseguir provar
Sem entregar e repartir

Quem acolher o que ele tem e traz, quem entender o que ele diz
No giz do gesto o jeito pronto do piscar dos cílios
Que o convite do silêncio exibe em cada olhar

Guardei sem ter porque, nem por razão ou coisa outra qualquer
Além de não saber como fazer
Pra ter um jeito meu de me mostrar

Achei vendo em você e explicação nenhuma isso requer
Se o coração bater forte e arder no fogo o gelo vai queimar

Gente!!!! Que música mais linda, mais profunda… tenho a impressão que trata-se de um momento de reflexão, de descoberta, sabe?? Como se a pessoa fosse sempre tão fechada no mundo dela, sem se expor, que quando descobriu como é bom amar e MOSTRAR esse amor, deleitou-se e musicou a descoberta!

Tô romântica demais, né? Mas como não estar após ouvir essa letra? Vou colocar alguns trechos para analisarmos. Ele começa dizendo que ele tinha um amor dentro dele, mas não sabia como mostrar, de um jeito só dele, mas então diz que aprendeu com a parceira, sem precisar de nenhuma explicação, porque o calor do amor, derreteu o gelo que lá havia:

Achei vendo em você e explicação nenhuma isso requer
Se o coração bater forte e arder, no fogo o gelo vai queimar

 

E quando ele traz à tona ainda que o estoque de amor dele estava cheio, pois viveu isso com seus pais, com o amor recebido e armazenado para então doar livremente a outro. É um amor tão lindo e profundo que ele compara ao renascimento!!

Pra você guardei o amor que aprendi vendo meus pais
O amor que tive e recebi e hoje posso dar livre e feliz
Céu cheiro e ar na cor que arco-íris risca ao levitar

Vou nascer de novo 

Definitivamente acredito que o amor é solução pra muita coisa e que a falta dele é mesmo a razão de tantas coisas ruins. Eu tive a sorte de viver em uma familia em que o amor não só era presente, mas muito transparente e totalmente verbalizado. Cresci lendo cartas e cartões do meu pai para a minha mãe, que mais parecia escrito por um poeta… cresci ouvindo e dizendo “Eu te amo” para os meus pais e irmãos. Mais que isso, essa (boa) prática sempre levamos para fora, para nossos avós, tios, afilhados, amigos…. Mas o mais importante: sem banalizar essa frase, porque nós realmente sabemos o significado de ‘amar’.

Muitas dores, medos, ansiedades foram curadas por conta desse nosso amor.

Hoje grávida, já coloco isso em prática junto com o meu marido, quando falamos com o bebezinho aqui dentro da barriga! E o melhor foi ver que muitos dos nossos amigos e familiares, que talvez tambem tenham buscado ‘um jeito seu de se mostrar’, colocaram todo o seu amor e felicidade por nós de maneira professoral! Obrigada queridos!!

Não dá pra falar muito mais… a letra diz tudo. Fecho esse post com mais um trecho da música e com o pedido de releitura dela, para que possamos ‘repartir o amor’

Pra você guardei o amor que nunca soube dar
O amor que tive e vi sem me deixar sentir,

sem conseguir provar, Sem entregar e repartir

Quem acolher o que ele tem e traz, quem entender o que ele diz
No giz do gesto o jeito pronto do piscar dos cílios
Que o convite do silêncio exibe em cada olhar

Anúncios

Uma história musicada

O samba, que é tido como o ritmo nacional por excelência, geralmente trata da vida e do cotidiano de famílias e moradores da periferia em suas letras.

Não importa qual seja a sua preferência musical – e que fique claro que eu respeito o gosto de todos – mas é inegável que o samba é aquele estilo que combina com momentos de descontração, diversão com amigos etc. Estou falando de samba e não de pagode, sambas de carnaval ou outros genéricos.

E é justamente para trazer ao Vitrola na Caixola esse mesmo clima, que hoje eu comento uma música do Seu Jorge que eu A-D-O-R-O!

 

Vacilão

Seu Jorge

Se arrependimento matasse…mulher… mulher é um quilo bem pesado bicho!

Aquilo é que era mulher pra não me acordar cedo, saía da cama na ponta do pé
Só me chamava tarde sabia meu gosto, na bandeja café
Chocolate, biscoito, salada de fruta, suco de mamão
No almoço era filé mignon com arroz à la grega, batata corada e um vinho do bom
No jantar era a mesma fartura do almoço e ainda tinha opção
É mas dei mole ela me dispensou

…Cheguei em casa outra vez doidão…Briguei com a preta sem razão
…Quis comer arroz doce com quiabo…Botei sal na batida de limão

Dei lavagem ao macaco, banana pro porco, osso pro gato
Sardinha ao cachorro, cachaça pro pato
Entrei no chuveiro de terno e sapato, não queria papo

Fui lá no porão, peguei treisoitão, dei tiro na mão do próprio irmão que quis me segurar, ele consegui me desarmar

Fui pra rua de novo, entrei no velório pulando a janela xinguei o defunto, apaguei a vela
Cantei a viúva mulher de favela, dei um beijo nela
O bicho pegou a polícia chegou…

Ela não me quer mais

Aquilo é que era mulher pra não te acordar cedo, saía da cama na ponta do pé
Só te chamava tarde sabia teu gosto, na bandeja café
Chocolate, biscoito, salada de fruta…..suco de mamão
No almoço era filé mignon com arroz à la grega, batata corada e um vinho do bom
No jantar era a mesma fartura do almoço e ainda tinha opção
É mais deu mole ela dispensou você

 …Cheguei em casa outra vez doidão …Briguei com a preta sem razão
…Quis comer arroz doce com quiabo …Botei sal na batida de limão

 Deu lavagem ao macaco, banana pro porco, osso pro gato,  sardinha ao cachorro, cachaça pro pato
Entrei no chuveiro de terno e sapato, não queria papo

Foi lá no porão, pegou treisoitão deu tiro na mão do próprio irmão que quis te segurar, ele consegui me desarmar

Fui pra rua de novo, entrei no velório pulando a janela, xinguei o defunto, apaguei a vela
Cantei a viúva mulher de favela, dei um beijo nela, o bicho pegou a polícia chegou, um coro levou em cana entrou… Ela não me quer mais
Bem feito!

Para reforçar o meu “A-D-O-R-O”… essa música é cantada em dueto; outro ponto que me empolga na maioria das músicas.

Uma característica interessante das letras de samba é que como boa parte delas conta histórias, elas também estimulam a nossa imaginação. Com a descrição dos cenários e personagens, a história fica muito sua… peculiar.

Na minha versão para a música o vacilão é parecido com o Agostinho de “A grande família”- aquele seriado da Globo – na forma de se vestir. Ele usa camisa listrada com casaco xadrez por cima…. mas diferente do Agostinho, meu personagem tem um bigodinho comprido que fica sujo quando come e anda com um molho de chave pendurado no colar dourado que a mãe dele deu! Rsrs

A mulher dele é aquela mulher que apesar de dedicada ao marido, é vaidosa e se mantém “na moda” como suas finanças permitem. Já o irmão é aquele temporão, mais descolado, mas que tem o irmão mais velho como um pai.

Bom, os acontecimentos tem as imagens mais cômicas possíveis dentro dessa minha cabecinha fértil. A mais engraçada mesmo é quando o cara entra no velório, xinga o morto, apaga a vela e beija a viúva. Imagino um momento ‘solo’ desse personagem nesse momento, com diversas pessoas velando o morto na sala de uma casa, todos parados e estarrecidos, até que depois de ele fechar a cena com o beijo na viúva, todos saem da ‘paralizia’ e começa o maior furduncio!

Bom, pra finalizar minha versão cenográfica da história, vejo a esposa dele do outro lado da cela em que ele vai preso, com um salto bem alto, um vestido vermelho bem colado, maquiada e com o cabelo num estilo molhado, por conta do creme rinse, dizendo:

-Bem feito!

Ahhhhh…. uma verdadeira diversão em forma de música essa a nossa caixola!!

Espero que ela também tenha estimulado sua criatividade e você divida com a gente as principais características dos seus personagens e cenários!!

Bom final de semana e até a próxima!