Ligeiramente grávida

Fiquei buscando na internet dias a fio por uma música que falasse sobre a gravidez… sobre bebês e filhos tem várias, mas eu ainda não cheguei nessa fase e achei que isso anteciparia muito as coisas. Afinal, tenho que aproveitar os 9 meses de uma experiência, única, não é mesmo?

 

Pois é… aí fiquei imaginando uma música bem tocante, profunda, que falasse desse período, desse milagre que é gerar uma vida dentro de você… E descobri que não tem muitas assim.

 

Aí resolvi desencanar e escrever sobre outra. Foi quando a busca do Google tirou do fundo do baú essa música, pensei: “Essa é a música que vai tocar no Vitrola!”

 

Claro que corre em mim tooooda a poesia de estar grávida, mas se tem uma coisa que eu gostaria que minha filha conhecesse em mim é como eu gosto do ‘bom humor’ em tudo o que faço (apesar de os hormônios estarem me privando um pouco dessa ‘vibe’ ultimamente)

Então vamos lá. (o vídeo é antigo e a qualidade não é das melhores, mas vale para lembrar!)

  

Ligeiramente Grávida

Composição: BLITZ (Evandro Mesquita)

 

Puxa vida cara, mas que moto legal, hein?
É Metal, Heavy Metal…
Débil mental? Débil mental?
Não, Heavy Metal, Heavy Metal…
Ahh.. me leva?

Eu levo.. Mas eu levo de moto..
Uhh.. a natureza é tão natural…”

 

Mamãe eu acho que estou… ligeiramente grávida
Mamãe não fique pálida, a coisa não é ruim
Se lembre, um dia você já ficou assim (2x)

Uma tarde tão bucólica, eu tava melancólica
Parada de bobeira, na porta da escola, quando um motoqueiro me deu bola
Subi na Kawasaki, o coração fez tic tic tac…
Ali na lanchonete, pedi um Mac queijo, foi quando o carinha me tacou um Mac beijo
E eu correspondi o Mac beijo com um Mac abraço
A coisa esquentou mas logo esfriou, por que lá não tinha Bat espaço

 

Mamãe eu acho que estou… ligeiramente grávida
Mamãe não fique pálida, a coisa não é ruim
Se lembre, um dia você já ficou assim (2x)

 

Um cara tão romântico, e o oceano atlântico
E aquele motor, de mil cilindradas,  causa reações inesperadas
Desci da Kawasaki, o coração fez tic tic tac…
Eu leio Baduan , não uso sutiã, pra que que eu ia deixar pra amanhã (2x)

 

Mamãe eu acho que estou… ligeiramente grávida
Mamãe não fique pálida, a coisa não é ruim
Se lembre, um dia você já ficou assim (2x)

 

 

Esses dias assisti um programa que passa na MTV chamado “Grávida aos 16 anos” e acho que essa música cabe perfeitamente. Vi quando uma dessas meninas contou para a mãe que estava grávida e a reação da mãe foi imediatamente empalidecer… coitada!rsrsrs

 

Também vi isso acontecendo muito na minha adolescência, inclusive com a Kawasaki fazendo sucesso entre as meninas e meses depois, o fruto do passeio à mostra. Enfim, eu ainda peguei a fase em que isso era realmente incomum e as mães surtavam com a notícia. Infelizmente esses fatos estão cada vez mais frequente… Digo infelizmente porque as meninas são muito novas e deixam, ou no mínimo postergam muito o aproveitamento da vida, o aprendizado e suas conquistas com uma gravidez não planejada.

 

Enfim, obviamente as coisas aconteceram completamente diferentes comigo. Meus pais esperavam ansiosos pela notícia e estão vibrando!! Quem ficou pálida meeeeesmo com a notícia, fui eu mesma! Dá um medão! rsrs

Anúncios

Repartir o amor

Não posso esconder que gosto tanto das músicas do Nando Reis, que se não fosse ficar ‘over’, eu só colocaria suas canções aqui no blog…. que provavelmente se chamaria “Nando na Caixola” hahaha.

A escolha de hoje junta duas preferências minhas: O Nando Reis e a melodia cantada em dueto! Adooooro!

Vamos lá: (P.S.: vale entrar no Youtube e ver o vídeo oficial, que eu não posso incluir aqui. Veja esse link: http://youtu.be/rkAvi_FRKyI )

Pra Você Guardei o Amor

Composição: Nando Reis

Pra você guardei o amor que nunca soube dar
O amor que tive e vi sem me deixar sentir sem conseguir provar
Sem entregar e repartir

Pra você guardei o amor que sempre quis mostrar
O amor que vive em mim vem visitar
Sorrir, vem colorir solar

Vem esquentar e permitir

Quem acolher o que ele tem e traz, quem entender o que ele diz
No giz do gesto o jeito pronto do piscar dos cílios
Que o convite do silêncio exibe em cada olhar

Guardei sem ter porque, nem por razão ou coisa outra qualquer
Além de não saber como fazer
Pra ter um jeito meu de me mostrar

Achei vendo em você e explicação nenhuma isso requer
Se o coração bater forte e arder, no fogo o gelo vai queimar

Pra você guardei o amor que aprendi vendo meus pais
O amor que tive e recebi e hoje posso dar livre e feliz
Céu cheiro e ar na cor que arco-íris risca ao levitar

Vou nascer de novo
Lápis, edifício, tevere, ponte
Desenhar no seu quadril
Meus lábios beijam signos feito sinos
Trilho a infância, terço o berço do seu lar

Guardei sem ter porque, nem por razão ou coisa outra qualquer
Além de não saber como fazer
Pra ter um jeito meu de me mostrar

Achei vendo em você e explicação nenhuma isso requer
Se o coração bater forte e arder, no fogo o gelo vai queimar

Pra você guardei o amor que nunca soube dar
O amor que tive e vi sem me deixar sentir sem conseguir provar
Sem entregar e repartir

Quem acolher o que ele tem e traz, quem entender o que ele diz
No giz do gesto o jeito pronto do piscar dos cílios
Que o convite do silêncio exibe em cada olhar

Guardei sem ter porque, nem por razão ou coisa outra qualquer
Além de não saber como fazer
Pra ter um jeito meu de me mostrar

Achei vendo em você e explicação nenhuma isso requer
Se o coração bater forte e arder no fogo o gelo vai queimar

Gente!!!! Que música mais linda, mais profunda… tenho a impressão que trata-se de um momento de reflexão, de descoberta, sabe?? Como se a pessoa fosse sempre tão fechada no mundo dela, sem se expor, que quando descobriu como é bom amar e MOSTRAR esse amor, deleitou-se e musicou a descoberta!

Tô romântica demais, né? Mas como não estar após ouvir essa letra? Vou colocar alguns trechos para analisarmos. Ele começa dizendo que ele tinha um amor dentro dele, mas não sabia como mostrar, de um jeito só dele, mas então diz que aprendeu com a parceira, sem precisar de nenhuma explicação, porque o calor do amor, derreteu o gelo que lá havia:

Achei vendo em você e explicação nenhuma isso requer
Se o coração bater forte e arder, no fogo o gelo vai queimar

 

E quando ele traz à tona ainda que o estoque de amor dele estava cheio, pois viveu isso com seus pais, com o amor recebido e armazenado para então doar livremente a outro. É um amor tão lindo e profundo que ele compara ao renascimento!!

Pra você guardei o amor que aprendi vendo meus pais
O amor que tive e recebi e hoje posso dar livre e feliz
Céu cheiro e ar na cor que arco-íris risca ao levitar

Vou nascer de novo 

Definitivamente acredito que o amor é solução pra muita coisa e que a falta dele é mesmo a razão de tantas coisas ruins. Eu tive a sorte de viver em uma familia em que o amor não só era presente, mas muito transparente e totalmente verbalizado. Cresci lendo cartas e cartões do meu pai para a minha mãe, que mais parecia escrito por um poeta… cresci ouvindo e dizendo “Eu te amo” para os meus pais e irmãos. Mais que isso, essa (boa) prática sempre levamos para fora, para nossos avós, tios, afilhados, amigos…. Mas o mais importante: sem banalizar essa frase, porque nós realmente sabemos o significado de ‘amar’.

Muitas dores, medos, ansiedades foram curadas por conta desse nosso amor.

Hoje grávida, já coloco isso em prática junto com o meu marido, quando falamos com o bebezinho aqui dentro da barriga! E o melhor foi ver que muitos dos nossos amigos e familiares, que talvez tambem tenham buscado ‘um jeito seu de se mostrar’, colocaram todo o seu amor e felicidade por nós de maneira professoral! Obrigada queridos!!

Não dá pra falar muito mais… a letra diz tudo. Fecho esse post com mais um trecho da música e com o pedido de releitura dela, para que possamos ‘repartir o amor’

Pra você guardei o amor que nunca soube dar
O amor que tive e vi sem me deixar sentir,

sem conseguir provar, Sem entregar e repartir

Quem acolher o que ele tem e traz, quem entender o que ele diz
No giz do gesto o jeito pronto do piscar dos cílios
Que o convite do silêncio exibe em cada olhar

A criança que mora em nós!

Como vocês perceberam estive ausente e explico a minha razão para isso: MUITO TRABALHO!

Mas não poderia deixar de trazer uma última música no ano, motivada pelo meu clima que finalmente passou de TRABALHO para FÉRIAS. Mas não são como qualquer férias, o clima é de férias como os de criança…. Lembra como era bom quando a escola parava e a gente só se divertia nas férias? Pois é… vou tirar só uma semana, mas vou me divertir como criança! Estou à caminho da Disney!!! ÊÊÊÊÊ

Aí, nada melhor do que uma música que lembra minha infância e é tema do Filme Toy Story. Se vocês não assistiram ainda aconselho que assistam. O terceiro é de longe o melhor da série!

Vamos lá!

  

You’ve Got A Friend In Me

Randy Newman

 

You’ve got a friend in me.

You’ve got a friend in me.

When the road looks rough ahead,

And you’re miles and miles from your nice warm bed.

You just remember what your old pal said.

Boy, you’ve got a friend in me.

Ya, you’ve got a friend in me.

 

You’ve got a friend in me.

You’ve got a friend in me.

If you got your troubles, I got ‘em too.

There isn’t anything I wouldn’t do for you.

We stick together we can see it through,

Cause you got a friend in me.

You got a friend in me.

 

Some other folks might be a little bit smarter than I am.

Bigger and stronger too.

Maybe, but none of them will ever love you the way I do,

It’s me and you, boy.

And as the years go by,

Our friendship will never die.

You’re gonna see it’s our destiny.

You’ve got a friend in me.

 

You got a friend in me.

You got a friend in me.

 

Você Tem Um Amigo Em Mim

 

Você tem um amigo em mim

Você tem um amigo em mim

Quando a estrada adiante parecer dura,

E você está há milhas e milhas de sua bela cama quente

Você apenas relembre do que seu velho amigo disse

Garoto, você tem um amigo em mim

É, você tem um amigo em mim

 

Você tem um amigo em mim

Você tem um amigo em mim

Você tem seus problema, eu os tenhos também

Não há nada que eu não faria por você

Nos manteremos unidos, nós podemos ver isso,

Porque você tem um amigo em mim

Você tem um amigo em mim.

 

Algumas outras pessoas poderiam ser um pouco mais inteligentes do que eu sou.

Maiores e mais fortes também.

Talvez, mas nenhum deles irá te amar como eu amo,

Somos eu e você, garoto.

E à medida que os anos passam,

Nossa amizade nunca irá morrer

Nós dois podemos ver, é o nosso destino

Você tem um amigo em mim.

 

Você tem um amigo em mim

Você tem um amigo em mim

 

 

São poucos os que tem a sorte de ter um amigo de verdade. Essa música, como é tema da animação, me remete imediatamente às minhas lembranças de criança… quando tínhamos como amigos, os nossos brinquedos ou amigos imaginários. É uma fase ótima e que, infelizmente se vai… mas parece que volta quando estamos com algumas crianças por perto.

Assistindo o filme me lembrei dos meus Ursinhos Carinhosos, Hello Kitty e outros, que dividiam o quarto comigo e sabiam de ABSOLUTAMENTE tudo o que se passava na minha cabecinha ainda ingênua. Brincávamos juntos e algumas vezes eu os apresentava a outros amiguinhos (os brinquedos do meu irmão! rs)

Agora adulta (praticamente só na idade mesmo! rsrs) meus amigos são amigos de carne e osso e tenho a sorte de ter alguns próximos a mim… em quem posso confiar meus bons e maus momentos. Amigos em quem posso depositar a minha confiança e que me presenteiam com suas presenças em minha vida.

Como diz a música, tenho amigos BEM mais inteligentes, maiores e mais fortes do que eu… E tenho que agradecer todos os dias por isso. Sou ainda mais afortunada em perceber que tenho amigos também em minha família, quando muitos não tem a mesma sorte. Meus irmãos e pais são uns amigões!

Nessa semana, vou relembrar um pouco o tempo em que os brinquedos e as fantasias criadas pela minha cabecinha eram a minha realidade…. Estou louca para encontrar o Tico&Teco, Pateta, Pluto…. aiiii que delícia!

Acho que todos nós merecemos um pouco mais de fantasia em nossa vida, ainda que seja assim, com uma viagem para a Disney. Mas eu prometo trazer um pouquinho desse clima, quando voltar, para os meu amigos da vida adulta, que sempre deixam o meu dia mais feliz!

Mas, carolinha como sou, não posso deixar de dizer que todos esses amigos, da infância e os de agora, só são mesmo reais porque tenho o meu melhor amigo. É aquele que está a caminho e renasce todos os anos na noite de Natal. Meu amigo Jesus! Vamos nos lembrar, que Ele é o grande responsável por todos esses amigos, que são verdadeiros presentes em forma de benção em nossa vida!

Feliz Natal a todos e um ano novo repleto de fantasias!!!

Que sorte!!

Considero a voz de Vanessa da Mata uma das mais melodiosas da MPB. Não importa se a música é mais lenta ou agitada, a voz dela dá, literalmente, o tom.

Hoje vou falar de uma música que até hoje é trilha sonora da minha vida.

Dá uma olhadinha na letra:

Ainda Bem

Composição: Liminha/Vanessa da Mata

 

Ainda bem que você vive comigo
Porque senão como seria esta vida?
Sei lá, sei lá
Nos dias frios em que nós estamos juntos
Nos abraçamos sob o nosso conforto de amar, de amar

Se há dores tudo fica mais fácil seu rosto silencia e faz parar
As flores que me mandam são fato do nosso cuidado e entrega
Meus beijos sem os seus não dariam, os dias chegariam sem paixão
Meu corpo sem o seu uma parte seria o acaso e não sorte

Ainda bem que você vive comigo
Porque senão como seria esta vida?
Sei lá, sei lá
Se há dores tudo fica mais fácil seu rosto silencia e faz parar
As flores que me mandam são fato do nosso cuidado e entrega
Meus beijos sem os seus não dariam os dias chegariam sem paixão
Meu corpo sem o seu uma parte seria o acaso e não sorte

Entre tantos outros, entre tantos anos, que sorte a nossa hein?
Entre tantas paixões, nosso encontro, nós dois, esse amor.

Entre tantas paixões nosso encontro, nós dois, esse amor.

P.S.: É uma pena que o Youtube não me deixe mais colocar vídeos oficiais… o clipe do DVD é espetacular!

A gente vive tanta coisa nessa vida, tantas fases. Temos  a fase das paixões arrebatadoras que nos cega e tem um efeito bombastico, especialmente quando somos adolescentes! Haja visto milhares de meninas que fogem com o namorado, ou engravidam aos seus 15, 16 anos…

Temos a fase de desilusão com tudo e com todos. Já não é aquela paixão adolescente, mas ainda tem um fundinho de fantasia… e por isso a desilusão. Esse período muitas vezes bate com o mesmo em que precisamos tomar decisões para nossos futuros profissionais, faculdade, emprego…então para não sofrer mais, focamos no trabalho… o que é bom para os que conseguem, já que é preciso mesmo pé no chão nesse processo de amadurecimento.

Depois disso tudo, percebemos que tudo em nossa vida está mais equilibrado e é possível unir todas as coisas, tentando fazê-las serem todas o mais prazerosa possível. Mas a verdade é que não é tão simples assim. Precisamos de competência, foco, amor e sorte.

Bom, disse tudo isso porque quando a música traz a parte: “ Entre tantos outros, entre tantos anos, que sorte a nossa, hein?” passa uma verdadeira retrospectiva na minha cabeça. De fato, são tantas coisas vividas, tantas pessoas, situações, histórias, sentimentos, que olhar pra alguém e perceber que  “meus beijos sem os dele não dariam, e que os dias chegariam sem paixão” é mesmo constatar que sou uma pessoa de muita sorte!!

Pare e pense um pouco… quantos relacionamentos você teve? Sempre tinha um ‘senão’, não tinha? Não que os atuais não tenham, afinal não serão nunca perfeitos, mas tem ‘senão’ que você está disposto a passar e outros não. Quando encontra alguém que está disposto a aturar os seus ‘senãos’ e você aos dele. É muita sorte!!!

Enfim, cultivo em mim o romantismo – conscientemente e por opção – e acho que essa música é uma verdadeira declaração de amor! Se tem algo que nunca vou me arrepender nessa vida é de ter dito a todas as pessoas que amo, que as amo!

Você já disse o quanto a pessoa que está ao seu lado é importante pra você? O quanto você se sente sortudo (a) por tê-la em sua vida? Faça isso e me conte como foi a reação… aposto que será tão linda como essa música!

Tiano, ainda bem que você vive comigo, porque senão, como seria essa vida!?!?!

 Te amo!!

 

Vivendo e aprendendo

Que é preciso ninguém tem dúvida, mas saber mesmo, são outros quinhentos…

  

É Preciso Saber Viver

Composição: Erasmo Carlos / Roberto Carlos

Quem espera que a vida seja feita de ilusão
Pode até ficar maluco ou morrer na solidão
É preciso ter cuidado, pra mais tarde não sofrer
É preciso saber viver

Toda pedra do caminho, você pode retirar
Numa flor que tem espinhos, você pode se arranhar
Se o bem e o mal existem, você pode escolher
É preciso saber viver

 

Acho que todo mundo teve o seu momento de ilusão, se agarrou a ela e não quis largar de jeito nenhum….então sofreu e aprendeu essa. Também deve ter tropeçado à beças nas pedras que apareceram, sem saber como poderia tirá-las…quando descobriu, aprendeu mais uma.

Mas disso, a conclusão que chego é que impossível saber viver! A gente vai trombando, caindo, esbarrando e vai aprendendo…(tempo verbal: presente contínuo). É um processo.

Tenho uma amiga (grande e querida Iara) que costuma dizer que devemos ser espertos e aprender com os erros dos outros, não com os nossos próprios. Até porque, talvez não tenhamos a chance de viver algo de novo, para então não errar mais. Complexo, eu sei. Difícil na prática, também sei. Mas concordo com ela.

Fiz três anos de terapia e quantas vezes ouvi: “Você tem que entender isso”, “Você tem que saber lidar com aquilo”, enfim. Me lembro de repetir ironicamente por quase um ano pra minha terapeuta: “Ah tá. E cadê a fórmula?”

“Não tem fórmula, Paula”, ela me respondia com um leve sorriso no rosto.

Ela tem toda razão. Não há UMA fórmula…. com o tempo, vamos criando as nossas próprias fórmulas.

Fui despedida? Tomei a decisão errada? Levei um pé na bunda?

Hora de manipular aqueles ingredientes do experimento anterior (ou alheio), juntar tudo e…. BUM! Fórmula pronta. É só beber! Rsrs

Ok, ok… não é simples assim, mas é um começo, um norte…

By the way, se alguém tiver a formula, ainda estou interessada!!!rsrsrs

Até a próxima!

Some da frente!

Sabe quando uma amiga ou amigo conta uma história sobre uma injustiça sofrida, que te faz tomar total as dores dela e ODIAR quem a/o tratou mal??

Pois é…essa música me traz mais ou menos  esse sentimento. Dá uma olhada:

Vai

Ana Carolina

Composição: Simone Saback

 

Espera aí! Nem vem com essa história eu nem quero ouvir
Não dá pra te esquecer agora… Como assim?
‘Cê disse que me amava tanto ontem, eu juro que ouvi

Calma aí! Que diabo você tá dizendo agora?
Que onda é essa de outro lance pra viver?
Você nem pode tá falando sério…
Vivi pra você, morri pra você

Pois então vai! A porta esteve aberta o tempo todo. Sai!
Quem tá lhe segurando? Você sabe voar

Pois então vai! A porta na verdade nem existe. Sai!
O que está esperando? Você sabe voar

Então tá bom! É, senta e conta logo tudo devagar
Não minta, não me faça, suportar
Você caindo nesse abismo enorme tão fora de mim

Tá legal! É, e eu faço o quê com a nossa vida genial?
‘Cê vai viver pra outra vida e eu fico aqui na vida que ficou em minha vida
Tão perto de mim, tão longe de mim

(Pois então) vai! A porta esteve aberta o tempo todo. Sai!
Quem tá lhe segurando? Você sabe voar

(Pois então) vai! A porta na verdade nem existe. Sai!
O que está esperando? Você sabe voar
Uhuu, de volta pra mim
De volta pra mim…

 

Então. Toda vez que ouço essa música fico com uma raiva desse cara! Hahaha Pôxa, será que esse cara nunca leu o Pequeno Príncipe? “Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas”, sacou??

Isso vale pra sempre! Não tem cabimento alguém cativar a outro e irresponsavelmente se isentar disso! Não mesmo! A gente bem sabe que o dia a dia é corrido, temos nossas tarefas, compromissos e tal, mas é importante manter contato com as pessoas que amamos e queremos bem. Ligar de vez em quando, mandar um e-mail e sempre, nessas oportunidades, não deixar de dizer para a pessoa o quanto você gosta dela. Isso é importante, faz bem pra você, pra quem ouve e pro relacionamento de vocês!

Mas enfim; indo à música… olha só: O cara disse que a amava um dia antes, tem um relacionamento sério (ao que parece) – essa vida genial – e de repente ‘cativa’ outro alguém e te joga pra escanteio! E deve fazer isso de novo com essa outra! Tá de palhaçada, né??  VAI!!!!! (eu emendaria um FDP nessa parte da música, fácil!)… vai embora mesmo (FDP de novo)!!

Mas o mais impressionante dessa música é que ela mostra tão claramente a indignação da pessoa que está sendo largada, né? “Nem vem com essa história, eu nem quero ouvir”, “Você nem pode tá falando sério”, “Que diabo você está dizendo agora”. Puuuuutsss, sério; é fácil partir daí pra um comportamento completamente insano e despirocado: “Quem tá te segurando?”…. só falta empurrar e jogar todas as roupas da pessoa pela janela! HAHAHAHA

Mas aí, num momento de ilusão-esperança e burrice ela canta: “Você sabe voar, de volta pra mim!”.

Fala sério, né? Virou o filho pródigo agora? Deixa o cara ir, curtir e voltar com o rabo entre as pernas depois??? Aí não dá, né?

Se essa história fosse contada por uma amiga minha eu tomaria as dores dela, ia ficar com muita raiva do cara, mas acho que mais dela depois de falar essa besteira! rsrsrs

Bjo e até a próxima!

Sucesso brega

Em momento algum me passou pela cabeça que essa música entraria no meu blog. Não porque eu não quisesse… simplesmente porque nem lembrava da existência dela.

Mas um dia uma colega veio com essa surpreendente ‘encomenda’, que me pareceu um contrassenso, tendo em vista que ela é adepta de uma vida sem filhos (veja seu blog – Sem Filhos)

Ah sim… a encomenda: Odair José  e “Uma vida só”, popularmente conhecida como “Pare de tomar a pílula”

HAHAHAHAHA…Sim! É essa música mesmo que você está pensando… é engraçado porque apesar de saber que não era, eu sempre fiz uma conexão dela com as marchinhas antigas de carnaval… tipo “Cabeleira do Zezé” e outras… rsrsrs

Bom, toda música tem lá suas mensagens… especialmente para quem as ouve.

Acreditem ou não, mas encontrei um vídeo de um show dele de dezembro de 2007, no Youtube!  Vamos lá:

Uma vida só (Pare De Tomar A Pílula)

Odair José

Já nem sei há quanto tempo nossa vida é uma vida só e nada mais

Nossos dias vão passando e você sempre deixando tudo pra depois

Todo dia a gente ama, mas você não quer deixar nascer o fruto desse amor

Não entende que é preciso ter alguém em nossa vida
Seja como for

Você diz que me adora que tudo nessa vida sou eu
Então eu quero ver você esperando um filho meu
Entao eu quero ver você esperando um filho meu
Pare de tomar a pílula, pare de tomar a pílula, pare de tomar a pílula
Porque ela não deixa o nosso filho nascer

 

Na década de 70, especialmente após a primeira crise do petróleo e o fim do “milagre econômico” brasileiro (1973), os consideráveis investimentos demográficos exigidos pelo acelerado crescimento populacional levaram o governo militar a adotar uma política demográfica do tipo antinatalista, patrocinando uma campanha nacional de controle da natalidade. Na mesma época, em 1973, Odair José lançou a canção “Uma vida só”, que despertou não só a ira do governo Médici, que a censurou pelo suposto entendimento de que a canção fazia propaganda contrária à sua campanha, como a igreja, que via na letra uma promoção indireta ao uso de métodos contraceptivos. A indústria farmacêutica, por sua vez, via justamente o contrário. Hahaha Enfim, o cara causou!

Há diversas maneiras para se ‘interpretar’ essa letra, mas vou me ater a duas: a liberdade de expressão e a romântica.

Liberdade de expressão:  Num momento em que todos os seus passos, atitudes, quiçá pensamentos eram monitorados, qualquer forma de protesto era  um risco. Mas para quem tem na música sua ferramenta de expressão, pode se valer de uma suposta “licença poética”. Quem sabe essa não foi a intenção de Odair José…

Romântico:  Existe uma linha tênue entre o romantismo e a breguice. Por isso, também não duvido que num momento de deprê, ele tenha optado por escrever essa música ao invés de alugar um filme ‘de chorar’ e afogar suas mágoas num imenso pote de sorvete!  Rsrs – Tá tá.. isso é coisa de mulher. Mas que fosse num boteco tomando cerveja, né? 

Bem, paralelos à parte, acho que a música não poderia ser mais atual. Com as mulheres cada vez mais a frente de grandes conquistas – a mais recente e impossível não citar, o cargo de Presidente da República – percebemos um forte movimento pelo adiamento da maternidade ou ainda pelo “childfree” (sem filhos).

Pudera, a vida é mesmo muito mais fácil quando o ir e vir depende exclusivamente de você, da sua própria vontade e não se tem uma responsabilidade dessa grandeza pelo resto da vida. Vivo esse momento. É mesmo muito bom, simplificado e feliz!

Mas, obviamente não estou dizendo que não seja possível ser bom, simples e feliz com filhos. Estou apenas constatando um fato. O único que posso constatar por experiência própria, afinal!

O meu lado egocêntrico, no entanto, me lembra que eu gosto tanto de viver, que seria legal perpetuar minha existência. O meu lado romântico/brega confessa ainda, que também considera um filho “um fruto do amor” e como se não bastasse, como não sofre nenhuma censura, delira com a frase “quero ver você esperando um filho meu”… KKKKK