Sapiência e paciência


É, no mínimo, curioso eu ter escolhido essa música… sou a pessoa mais ansiosa da face da terra. Mas acho, de verdade, que ansiedade e impaciência têm lá suas diferenças. Enfim… vamos lá:

 

 Paciência

Lenine

Composição: Lenine e Dudu Falcão

Mesmo quando tudo pede
Um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede
Um pouco mais de alma
A vida não pára…Enquanto o tempo
Acelera e pede pressa
Eu me recuso faço hora
Vou na valsa
A vida é tão rara…
 

Enquanto todo mundo
Espera a cura do mal
E a loucura finge
Que isso tudo é normal
Eu finjo ter paciência…

O mundo vai girando
Cada vez mais veloz
A gente espera do mundo
E o mundo espera de nós
Um pouco mais de paciência…

Será que é tempo
Que lhe falta prá perceber?
Será que temos esse tempo
Prá perder?
E quem quer saber?
A vida é tão rara
Tão rara…

Mesmo quando tudo pede
Um pouco mais de calma
Mesmo quando o corpo pede
Um pouco mais de alma
Eu sei, a vida não pára
A vida não pára não…

Será que é tempo
Que lhe falta prá perceber?
Será que temos esse tempo
Prá perder?
E quem quer saber?
A vida é tão rara
Tão rara…

Mesmo quando tudo pede
Um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede
Um pouco mais de alma
Eu sei, a vida não pára
A vida não pára não…

 
 

Hoje fui à manicure e em nossas conversas ela me disse que seu bebê já vai fazer um ano. Aí pensei: “Meu Deus… já passou tudo isso e eu nem notei?”

 

 

Agora então, que estou envolta aos preparativos do meu casamento, conto o tempo por finais de semana. Hoje tenho 19 finais de semana para resolver todas as coisas. (Meu Deus! Só isso!!).

 

Quando passa a semana, voando eu diria – nem por isso é rápida como eu gostaria – e chega o final de semana… eu estou tão esgotada!

 

Aí parei para pensar em como o tempo voa e o quanto faz mal não notá-lo passar. Faz mal não darmos o devido valor a cada dia, hora, minuto. E pior. Faz mal entrarmos no rítmo que ele (?) vem nos imprimindo.

 

A música do Lenine, Paciência, está super alinhada ao que eu também conversava com uma amiga que tem uma doença que se agrava muito nos momentos de stress. Ela me dizia: “Quando o meu corpo começa a dar sinais, lá atrás, antes da bomba explodir, eu paro tudo. Se for preciso falto, fico em casa, respiro fundo, me reorganizo mentalmente, saio da roda viva e não deixo que a crise evolua”.

 

Ela “Se recusa, faz hora e vai na valsa”. Tá certíssima.

 

A vida não pára, mas ela é tão rara!!!

 

Quantos de nós estamos no limite. Diria até, que acelerando o nosso fim, e simplesmentes ‘fingimos ter paciência’.  

 

Porque o mundo está girando cada vez mais veloz? Quem o faz girar? Porque estamos esperando paciência dele, se nós é que o temos em mãos? Nós o colocamos nessa velocidade. Nós também estamos acelerando o seu fim.

 

O que nos falta pra perceber tudo isso não é tempo, é discernimento, é amor à vida, amor próprio e amor pelo outros.

 

Ufa! Que bom que tirei esse tempo para questionar tudo isso, apesar de já estar atrasada. Nossa… 13h30 e tenho tantas coisas pra fazer, resolver, decidir… Caramba!!! O tempo não pára!!!

 

Tchau… deixa eu correr… até a próxima!

 

Xiiii… Tudo errado… Tô acelerando tudo de novo…  

 

 

Anúncios

8 Respostas

  1. A grande sutileza da vida é conseguir estar presente “todo tempo”. Nós simplesmente nos ausentamos em nome do por vir: metas, planos, alvos – tudo isso é muito importante e… distante, requer ‘paciência’, mas, geralmente, nos deixa ansiosos.
    Acho que o exercício da paciência é o que nos abre os olhos para o nascer do sol em uma manhã de inverno; que me faz decorar cada faceta do meu Pedro e toda glória de cada pequeno gesto; é o que faz com que amemos cada ruga e cabelo branco de nossos parentes e amigos amados…
    Paciência faz com que deixemos de ser consumidor e passemos a consumir a verdadeira poesia que nos rodeia.

  2. O erro é fazer tudo correndo para um “amanhã melhor” sem perceber que o amanhã é hoje!!! E depois, arrependido, não conseguir recuperar o tempo que já era… Muito triste essa vida que faz a gente pensar só no futuro e um dia, ver que o futuro já virou passado e a gente nem percebeu… Vamos virar o jogo enquanto é tempo! Duro é saber como…

  3. Meninas… acho que vocês é que deveriam ter escrito sobre essa música!! Sintetizaram tudo muito bem!
    Concordo plenamente!
    Bjos

  4. Cris. Ou Paula.. bem… essa música toca em uma propaganda né.Eu já conhecia, mas sempre que ela começa, eu paro tudo e fico olhando e ouvindo. De uma certa forma ela me transmite paz.
    Ultimamente tenho me questionado muito sobre essa questão do tempo e da falta dele. Será que dedicamos nosso tempo ao que realmente é importante? Será que conciliamos nosso tempo como deveríamos? não sei…

  5. Isso me faz lembrar que, quando o microondas foi inventado, a gente adorava ter pratos prontos em 5, 10 minutos. Hoje, esperar 3 minutos parece insuportável, além de perda de tempo absurda.

    Eu não acho que temos que aceitar a imposição do tempo louco, sei lá. Mas, esta geração é tão alheia. Tipo… fala, reclama, grita, mas fica sempre na teoria.

    É claro que nem sempre, aliás, quase nunca, é possível mudar as coisas no espaço de tempo que gostaríamos, até pq temos várias ‘metas’ – que nós mesmas definimos, que fique claro – que não ficam alinhadas com o desconforto da correria.

    Mas, tem uma outra música do Lenine (Do it) que diz: “Não tá bom, melhora!”.

    Então, acho que a questão é mais coragem que boas idéias. E me incluo na lista de ‘alheia’, ok? Sem falso moralismo…

    Até pq a roda-viva sempre chega e ‘carrega o destino pra lá’…

    Para a letra de Do It: http://vagalume.uol.com.br/lenine/do-it.html

  6. Cris, amei o blog e as reflexões. Tua cara. Saudades sempre!
    Beijos!

  7. Oi Cris!!

    Que legal seu blog!! OLha, tenho que te parabenizar pela escolha da música tema desse post. Essa, pra mim, é uma das melhores do Lenine até hoje.

    bjos,
    Fê.

  8. É, certamente a vida não pára… por isso muitas vezes chegamos ao extremo… chegamos ao ponto de só parar quando o corpo (a parte física mesmo), esgota com toda a bateria e pegamos alguma dessa “doenças” do século XXI.
    Concordo com você, pois é mesmo uma pena não perceber que cada segundo que nos foi dado por Deus, muitas vezes é jogado no lixo nos momento em que preferimos não controlar nossa raiva, nossa ansiedade, nossa intolerância para aquilo que nós julgamos estar errado.
    Temos que aproveitar e parar o quanto antes.. devemos procurar a paz interior, os movimentos mais leves e uma vida mais feliz.
    Ouvi um dia que você é quem escolhe como será seu dia.. Você acorda e diz: “Hoje meu dia será excelente” ou então “Nossa, o dia já começou ruim..”. Deveríamos escolher sempre a primeira opção.. é ruim as vezes, mas das poucas vezes em que me policiei e fiz uma escolha, meu dia ficou mais calmo, mais gostoso e mais feliz…

    Beijos e parabéns pela escolha.. perfeita essa música…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: